Vazão do São Francisco na Paraíba aumenta 148% em uma semana e deve chegar a Boqueirão

As águas do rio São Francisco, juntamente com as águas das fortes chuvas caídas no Cariri paraibano, descem pelo rio Paraíba e estão cada vez mais próximas de chegarem ao açude Epitácio Pessoa em Boqueirão. A perspectiva é que as águas inundem o manancial antes do prazo estabelecido pelo Ministério da Integração Nacional, que é no final de abril.

O procurador de Justiça do estado da Paraíba e membro do Comitê de Gestão da Crise Hídrica na Paraíba, do Ministério Público Estadual (MPPB), Herbert Targino, revelou, que o  Comitê Gestor está informando que as águas do eixo leste do projeto de transposição do Rio São Francisco devem chegar ao açude de Boqueirão, que abastece Campina Grande, no próximo domingo (09).

Ontem a vazão da água do Rio São Francisco na divisa entre a Paraíba e Pernambuco subiu 148,33% em uma semana, de acordo com medições feitas por técnicos da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado (Aesa). O volume de água escoada por segundo no Portal das Águas, em Monteiro, pulou de 3 mil litros na semana passada para 7.450 litros.

O monitoramento é feito diariamente e a expectativa é de que a vazão aumente ainda mais. “Acima de sete metros cúbicos por segundo nós já temos um volume muito bom, mas a nossa expectativa, baseado nas conversas que tivemos com os técnicos do Governo Federal, é de que a vazão aumente ainda mais”, prevê o presidente da Aesa, João Fernandes da Silva.

Equipes formadas por técnicos da Aesa, Cagepa, Sudema e Polícia Ambiental inspecionam o percurso que vai ser feito pelas águas do São Francisco até o açude Epitácio Pessoa, na cidade de Boqueirão. Oito plataformas eletrônicas vão ser instaladas no curso do rio Paraíba para acompanhar a vazão das águas na Paraíba.

A água que vai de Camalaú para Boqueirão está passando pelo Rio Paraíba. Apesar do avanço, Aesa ainda não tem uma previsão mais precisa de quando a água deve chegar ao açude de Boqueirão, por causa de uma instabilidade na vazão que chega da transposição, mas mantém a estimativa de que ela chegue até o dia 22 de abril deste ano, podendo ocorrer antes.

Segundo o presidente da Aesa, João Fernandes, até a semana passada  a água estava passando apenas pela comporta normal no açude de Camalaú, em uma vazão de 650 litros de água por segundo. Esta é a mesma vazão que sai atualmente do açude de Boqueirão para abastecer a população de Campina Grande e outras 18 cidades do Agreste paraibano.

Nos últimos 30 dias os açudes de Porções, Camalau e São José, todos no Cariri paraibano, tiveram significativos aumentos de recargas em função das chuvas e das águas vindas do Velho Chico. O açude de São José II, a, sangrou após uma precipitação de 115 mm no município de Monteiro no sábado (1º), segundo a Aesa. O reservatório tem uma capacidade de 1.311.540 m³

PB Agora

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *