Remédio: uso excessivo pode estar agravando a saúde de crianças paraibanas

Seja um, dois, ou três remédios, a quantidade não importa quando o primeiro sintoma incomum e uma dor se manifesta no corpo. Mesmo diante de uma doença simples, a falta de conhecimento sobre ela e a necessidade de que o sintoma cesse, faz com que a procura por medicamentos que surtam efeitos imediatos aumente. E, quando se trata de crianças, os cuidados dos pais são redobrados, fazendo com que a preocupação com prescrições médicas com muitos remédios se convertam na vontade de que o filho melhore o mais rápido possível.

Mas, o problema não é medicar, pelo contrário, remédios são necessários, mas o uso excessivo deles pode causar problemas à saúde das crianças e efeitos contrários, de acordo com o pneumologista pediatra Gilvam da Cruz. Remédios em excesso podem apresentar alterações no organismo da criança, gerando reações alérgicas, resistência e alterações hepáticas, segundo afirmou o presidente da Sociedade Paraibana de Pediatria, Cláudio Orestes.

Buscando evitar a dependência de medicamentos, pelo seu uso em excesso, alguns pais preferem medicar seus filhos com remédios homeopatas, que são medicamentos preparados a partir de substâncias extraídas da natureza mineral, vegetal e animal. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 500 milhões de pessoas recebem tratamento homeopático em todo o mundo.

Riscos Muitas pessoas ao procurarem o médico querem o “aqui e agora, ou que seja feito alguma mágica que resolva de maneira rápida determinada questão”, segundo Cláudio. Mas ele afirma que essa ansiedade por um diagnóstico imediato ocorre pela insegurança dos pais em relação a determinados quadros em que o filho se encontra, que, mesmo sendo relativamente simples, pela falta de noção do que pode ser, aumenta a procura por um medicamento que tenha um efeito rápido, dificultando o entendimento de que algumas doenças não necessitam de medicamento, apenas repouso. “Alguns remédios tratam a febre e não a causa, por isso é necessário tomar um medicamento apropriado. Mas, muitas vezes as doenças são simples e a criança só precisa ficar de repouso, mas muitos pais não compreendem isso” explicou o presidente.

Quando um indivíduo utiliza muitos medicamentos, ele fica mais sujeito aos efeitos colaterais que a droga pode causar. E com relação aos antibióticos, o uso demasiado aumenta a resistência bacteriana do corpo, segundo Gilvam da Cruz. “Por exemplo, um remédio para diarreia pode causar efeitos de vômito, náuseas, aumento da diarreia e desidratação”, explicou o pediatra. “Além disso, a medicação pode perder seu efeito”, reforça. Alguns pais não compreendem quando a prescrição médica recomenda que a criança fique de repouso, por não querer que o paciente sofra por muito tempo. Porém, segundo o pediatra, nesses casos, é necessário explicar de maneira compreensível e passar confiança.

PB Agora

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *