Greve geral deve parar ônibus, bancos e escolas na capital

Nesta sexta-feira, Dia Nacional de Paralisação, as centrais sindicais prometem reunir nas ruas de João Pessoa mais de três mil trabalhadores contra as reformas da Previdência e trabalhista. De acordo com informações da Central Única dos Trabalhadores da Paraíba (CUT), a previsão é que os ônibus não funcionem, mas o movimento já tem adesão de diversas categorias como bancários, ferroviários, carteiros, professores e servidores da Universidade Federal da Paraíba e professores das escolas públicas, além de diversas outras categorias.

“Todos vão às ruas esclarecer a população sobre o maior ataque à classe trabalhadora”, disse o presidente da CUT, Paulo Marcelo. Segundo ele, a paralisação dos transportes públicos está sendo negociada com o sindicato dos motoristas e que até amanhã sairá a decisão. Ele enfatizou que os trabalhadores do campo e de diversas cidades da Paraíba também vão parar suas atividades hoje.

Em João Pessoa, o ato público será realizado a partir das 14h, no Ponto Cem Reis.

Bancários Os bancários decidiram aderir ao movimento convocado pelas centrais sindicais, federações, a Frente Brasil Popular e a Frente Povo sem Medo através de assembleia realizada no último dia 19. A greve geral desta sexta-feira é contra a terceirização, as reformas trabalhista e previdenciária, a reestruturação e o desmonte dos bancos públicos.

Conforme as centrais sindicais, as pessoas podem participar do Dia de Paralisação não indo a supermercados, padarias, não indo a shoppings, não comprando móveis ou eletroeletrônicos, não indo a lotéricas, academias ou mesmo escolas ou faculdades.

A recomendação é que as pessoas contribuam para o sucesso do movimento, uma vez que a aposentadoria e as garantias trabalhistas poderão ser cortadas de uma vez por todas. “A hora é de mostrarmos resistência a todas essas reformas”, disse Paulo Marcelo.

Igreja Católica Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz, que toma posse no próximo dia 20, às 16h30, no Ginásio Ronaldão em João Pessoa, como o 7º arcebispo metropolitano da Paraíba, convocou a população para participar nesta sexta-feira das manifestações contra a reforma da Previdência. O objetivo é alertar o Governo Federal que nem a Igreja é a favor da reforma e conclama todos a demonstrarem seu descontentamento.

Jeová Campos O deputado estadual Jeová Campos (PSB), disse ontem na tribuna da Assembleia Legislativa ser a favor do movimento deste 28 de abril, que é um basta nessa que, sem dúvida nenhuma, é a proposta mais imoral e maldosa contra o povo brasileiro.

PB Agora

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *