Greve geral deve parar ônibus, bancos e escolas na capital

Nesta sexta-feira, Dia Nacional de Paralisação, as centrais sindicais prometem reunir nas ruas de João Pessoa mais de três mil trabalhadores contra as reformas da Previdência e trabalhista. De acordo com informações da Central Única dos Trabalhadores da Paraíba (CUT), a previsão é que os ônibus não funcionem, mas o movimento já tem adesão de diversas categorias como bancários, ferroviários, carteiros, professores e servidores da Universidade Federal da Paraíba e professores das escolas públicas, além de diversas outras categorias.

“Todos vão às ruas esclarecer a população sobre o maior ataque à classe trabalhadora”, disse o presidente da CUT, Paulo Marcelo. Segundo ele, a paralisação dos transportes públicos está sendo negociada com o sindicato dos motoristas e que até amanhã sairá a decisão. Ele enfatizou que os trabalhadores do campo e de diversas cidades da Paraíba também vão parar suas atividades hoje.

Em João Pessoa, o ato público será realizado a partir das 14h, no Ponto Cem Reis.

Bancários Os bancários decidiram aderir ao movimento convocado pelas centrais sindicais, federações, a Frente Brasil Popular e a Frente Povo sem Medo através de assembleia realizada no último dia 19. A greve geral desta sexta-feira é contra a terceirização, as reformas trabalhista e previdenciária, a reestruturação e o desmonte dos bancos públicos.

Conforme as centrais sindicais, as pessoas podem participar do Dia de Paralisação não indo a supermercados, padarias, não indo a shoppings, não comprando móveis ou eletroeletrônicos, não indo a lotéricas, academias ou mesmo escolas ou faculdades.

A recomendação é que as pessoas contribuam para o sucesso do movimento, uma vez que a aposentadoria e as garantias trabalhistas poderão ser cortadas de uma vez por todas. “A hora é de mostrarmos resistência a todas essas reformas”, disse Paulo Marcelo.

Igreja Católica Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz, que toma posse no próximo dia 20, às 16h30, no Ginásio Ronaldão em João Pessoa, como o 7º arcebispo metropolitano da Paraíba, convocou a população para participar nesta sexta-feira das manifestações contra a reforma da Previdência. O objetivo é alertar o Governo Federal que nem a Igreja é a favor da reforma e conclama todos a demonstrarem seu descontentamento.

Jeová Campos O deputado estadual Jeová Campos (PSB), disse ontem na tribuna da Assembleia Legislativa ser a favor do movimento deste 28 de abril, que é um basta nessa que, sem dúvida nenhuma, é a proposta mais imoral e maldosa contra o povo brasileiro.

PB Agora

Remédio: uso excessivo pode estar agravando a saúde de crianças paraibanas

Seja um, dois, ou três remédios, a quantidade não importa quando o primeiro sintoma incomum e uma dor se manifesta no corpo. Mesmo diante de uma doença simples, a falta de conhecimento sobre ela e a necessidade de que o sintoma cesse, faz com que a procura por medicamentos que surtam efeitos imediatos aumente. E, quando se trata de crianças, os cuidados dos pais são redobrados, fazendo com que a preocupação com prescrições médicas com muitos remédios se convertam na vontade de que o filho melhore o mais rápido possível.

Mas, o problema não é medicar, pelo contrário, remédios são necessários, mas o uso excessivo deles pode causar problemas à saúde das crianças e efeitos contrários, de acordo com o pneumologista pediatra Gilvam da Cruz. Remédios em excesso podem apresentar alterações no organismo da criança, gerando reações alérgicas, resistência e alterações hepáticas, segundo afirmou o presidente da Sociedade Paraibana de Pediatria, Cláudio Orestes.

Buscando evitar a dependência de medicamentos, pelo seu uso em excesso, alguns pais preferem medicar seus filhos com remédios homeopatas, que são medicamentos preparados a partir de substâncias extraídas da natureza mineral, vegetal e animal. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 500 milhões de pessoas recebem tratamento homeopático em todo o mundo.

Riscos Muitas pessoas ao procurarem o médico querem o “aqui e agora, ou que seja feito alguma mágica que resolva de maneira rápida determinada questão”, segundo Cláudio. Mas ele afirma que essa ansiedade por um diagnóstico imediato ocorre pela insegurança dos pais em relação a determinados quadros em que o filho se encontra, que, mesmo sendo relativamente simples, pela falta de noção do que pode ser, aumenta a procura por um medicamento que tenha um efeito rápido, dificultando o entendimento de que algumas doenças não necessitam de medicamento, apenas repouso. “Alguns remédios tratam a febre e não a causa, por isso é necessário tomar um medicamento apropriado. Mas, muitas vezes as doenças são simples e a criança só precisa ficar de repouso, mas muitos pais não compreendem isso” explicou o presidente.

Quando um indivíduo utiliza muitos medicamentos, ele fica mais sujeito aos efeitos colaterais que a droga pode causar. E com relação aos antibióticos, o uso demasiado aumenta a resistência bacteriana do corpo, segundo Gilvam da Cruz. “Por exemplo, um remédio para diarreia pode causar efeitos de vômito, náuseas, aumento da diarreia e desidratação”, explicou o pediatra. “Além disso, a medicação pode perder seu efeito”, reforça. Alguns pais não compreendem quando a prescrição médica recomenda que a criança fique de repouso, por não querer que o paciente sofra por muito tempo. Porém, segundo o pediatra, nesses casos, é necessário explicar de maneira compreensível e passar confiança.

PB Agora

Cássio admite ter recebido da Odebrecht e diz que deve ser investigado

No início da noite de hoje, o senador paraibano Cássio Cunha Lima (PSDB) gravou uma mensagem em vídeo para explicar a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin de autorizar a abertura de inquérito contra ele e mais 75 políticos com foro privilegiado citados em depoimentos de delação premiada de ex-diretores da empreiteira Odebrecht, no âmbito da Operação Lava Jato.
Na gravação, publicada em seu perfil nas redes sociais, Cássio afirma que já tinha informado o recebimento de doação da Braskem, uma empresa do grupo Odebrecht e defende uma ampla investigação para esclarecer os fatos:
“Tem que investigar sim para que tudo seja devidamente esclarecido. Quero dizer de forma muito enfática que meu patrimônio é absolutamente compatível com minha renda. Não enriqueci ilicitamente e a Odebrecht nunca fez obras quando eu era prefeito e nem quando eu era governador”, disse o tucano.

Parlamentopb

Compras acima de R$ 500 no varejo terão de incluir CPF na Nota Fiscal

A partir do dia 2 de maio, os estabelecimentos comerciais no Estado da Paraíba deverão inserir o número do CPF na Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e) para compras com valor igual ou acima de R$ 500. Atualmente, a inclusão do CPF no ato da emissão de Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e) é obrigatória somente em compra acima de R$ 10 mil. A redução do valor tem o objetivo de garantir maior segurança, transparência e controle das compras, evitar fraudes, além de facilitar o acesso em caso de notas perdidas pelos consumidores.
A inclusão do CPF vai facilitar a consulta e a recuperação por parte dos consumidores de notas eletrônicas ao consumidor perdidas, por meio do portal SERvirtual da Receita Estadual (www.receita.pb.gov.br/servirtual). A nota também é fundamental para garantir os direitos dos consumidores, pois, além de comprovar a garantia, ela assegura o direito na hora de registrar a reclamação nos Órgãos de Defesa do Consumidor.
A obrigatoriedade da inserção do CPF na Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica deverá ocorrer em duas situações. Além de compras no comércio varejista com valor igual ou superior a R$ 500,00, outra exigência que vai exigir CPF na nota são as entregas de produtos em domicílio, hipótese em que deverá constar a informação do respectivo endereço.
INCLUSÃO POR CONTA PRÓPRIA – Apesar de não ser obrigatório, os consumidores paraibanos poderão incluir também o CPF na Nota Fiscal Eletrônica nas compras com valor inferior a R$ 500. Para tanto, deverá solicitar por conta própria a inclusão do CPF no ato da compra. A vantagem é que esses consumidores poderão recuperar as notas eletrônicas perdidas com mais facilidade. Para ter acesso, precisa fazer, antes, o credenciamento na página da Receita Estadual (www.receita.pb.gov.br/servirtual).
LEGISLAÇÃO FACULTA VALORES – A legislação permite que cada Estado tenha autonomia para estabelecer o valor mínimo para inserir o CPF na NFC-e. Outras unidades da federação já reduziram o valor na nota fiscal eletrônica com exigência de CPF como, por exemplo, o Ceará (R$ 200,00) e a Bahia (R$ 600,00). A legislação que embasa a portaria é o decreto 37.216/2017 e o ajuste Sinief (Sistema Nacional de Informações Econômicas e Fiscais) 19/2016.

Parlamentopb

Vazão do São Francisco na Paraíba aumenta 148% em uma semana e deve chegar a Boqueirão

As águas do rio São Francisco, juntamente com as águas das fortes chuvas caídas no Cariri paraibano, descem pelo rio Paraíba e estão cada vez mais próximas de chegarem ao açude Epitácio Pessoa em Boqueirão. A perspectiva é que as águas inundem o manancial antes do prazo estabelecido pelo Ministério da Integração Nacional, que é no final de abril.

O procurador de Justiça do estado da Paraíba e membro do Comitê de Gestão da Crise Hídrica na Paraíba, do Ministério Público Estadual (MPPB), Herbert Targino, revelou, que o  Comitê Gestor está informando que as águas do eixo leste do projeto de transposição do Rio São Francisco devem chegar ao açude de Boqueirão, que abastece Campina Grande, no próximo domingo (09).

Ontem a vazão da água do Rio São Francisco na divisa entre a Paraíba e Pernambuco subiu 148,33% em uma semana, de acordo com medições feitas por técnicos da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado (Aesa). O volume de água escoada por segundo no Portal das Águas, em Monteiro, pulou de 3 mil litros na semana passada para 7.450 litros.

O monitoramento é feito diariamente e a expectativa é de que a vazão aumente ainda mais. “Acima de sete metros cúbicos por segundo nós já temos um volume muito bom, mas a nossa expectativa, baseado nas conversas que tivemos com os técnicos do Governo Federal, é de que a vazão aumente ainda mais”, prevê o presidente da Aesa, João Fernandes da Silva.

Equipes formadas por técnicos da Aesa, Cagepa, Sudema e Polícia Ambiental inspecionam o percurso que vai ser feito pelas águas do São Francisco até o açude Epitácio Pessoa, na cidade de Boqueirão. Oito plataformas eletrônicas vão ser instaladas no curso do rio Paraíba para acompanhar a vazão das águas na Paraíba.

A água que vai de Camalaú para Boqueirão está passando pelo Rio Paraíba. Apesar do avanço, Aesa ainda não tem uma previsão mais precisa de quando a água deve chegar ao açude de Boqueirão, por causa de uma instabilidade na vazão que chega da transposição, mas mantém a estimativa de que ela chegue até o dia 22 de abril deste ano, podendo ocorrer antes.

Segundo o presidente da Aesa, João Fernandes, até a semana passada  a água estava passando apenas pela comporta normal no açude de Camalaú, em uma vazão de 650 litros de água por segundo. Esta é a mesma vazão que sai atualmente do açude de Boqueirão para abastecer a população de Campina Grande e outras 18 cidades do Agreste paraibano.

Nos últimos 30 dias os açudes de Porções, Camalau e São José, todos no Cariri paraibano, tiveram significativos aumentos de recargas em função das chuvas e das águas vindas do Velho Chico. O açude de São José II, a, sangrou após uma precipitação de 115 mm no município de Monteiro no sábado (1º), segundo a Aesa. O reservatório tem uma capacidade de 1.311.540 m³

PB Agora

36 cidades serão beneficiadas pelo Dnocs com sistema simplificado de abastecimento

O Departamento Nacional de Obras contra Seca na Paraíba (Dnocs-PB) vai contemplar 36 municípios com o sistema simplificado de abastecimento de água. O objetivo é auxiliar as cidades paraibanas a enfrentar o período de estiagem prolongada que assola o semiárido nordestino há seis anos. A iniciativa compreende um investimento de R$ 4 milhões.

Os sistemas simplificados de abastecimento compreendem poço, cata-vento, uma pequena adutora, caixas d’água e chafariz com três saídas para atender as comunidades rurais.

As cidades a serem atendidas são: Cacimba de Dentro, Damião, Picuí, Baraúna, Pedra Lavrada, Soledade, Juazeirinho, Santa Luzia, Taperoá, São José dos Ramos, Mogeiro, Salgado de São Félix, Teixeira, Prata, Serra Branca, Sumé, Nativa, Barra de São Miguel, Monte Horebe, Gurinhém, Fagundes, São Bento, São José do Brejo do Cruz, Belém, Caiçara, São José do Bonfim, Areia, Coremas, Tacima, São João do Cariri, Emas, Monteiro, Nova Olinda, Jacaraú, Guarabira, Belém, Piancó, Livramento, São José de Piranhas, Parari, Bananeiras e Cubati.

A implantação dos sistemas simplificados de abastecimento de água. representa um investimento de R$ 4 milhões e faz parte de uma ação conjunta entre o Dnocs da Paraíba em parceria com o senador José Maranhão (PMDB).

Clickpb

Paraíba registra queda nos números de dengue e chikungunya

A Secretaria Estadual de Saúde identificou uma queda nos números de casos de dengue, chikungunya neste ano. Segundo boletim divulgado nesta quinta-feira (23) com os dados, de 3 de janeiro a  11 de março de 2017 (10ª semana epidemiológica de início de sintomas), foram notificados 454 casos de dengue na Paraíba, uma redução de 81,54% em relação ao mesmo período do ano passado. Quanto às notificações de suspeita de chikungunya, o decréscimo foi de 94,6%, com 139 casos registrados neste ano contra 2.576 no ano passado.

 “A SES salienta aos gestores municipais o alerta para a importância da notificação diante de casos suspeitos de dengue, zyka e chikungunya. Esta sinalização é uma forma de manter os profissionais de saúde em alerta para o agravo, contribuindo para desencadear ações de assistência à saúde, vigilância epidemiológica e ambiental”, observou a gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES-PB, Renata Nóbrega.

Ela destacou ainda a importância de lembrar que a chikungunya foi confirmada pela primeira vez na Paraíba em dezembro de 2015, e, por isso, a população está susceptível ao agravo.

Zika Vírus – De acordo com o boletim, foram registrados 25 casos notificados por Zika Vírus de 3 de janeiro a  11 de março de 2017. Atualmente, na Paraíba existem três unidades sentinelas do Zika vírus implantadas para identificação da circulação viral nos municípios de Bayeux, Campina Grande e Monteiro, conforme recomendação do Ministério da Saúde.

“Destaca-se que a Doença Aguda pelo Zika Vírus foi inserida na Lista de Doenças de Notificação Compulsória a partir da Portaria Nº 204, 17 de fevereiro de 2016, o que justifica o pico de notificações no mês de fevereiro”, lembrou Renata Nóbrega.

Óbitos – Até a 10ª Semana Epidemiológica foram notificados três óbitos com suspeita de causa por dengue (um caso em Bayeux, outro em Conceição e outro em João Pessoa). Os óbitos com suspeita devem ser informados imediatamente, ou seja, no período de 24 horas, conforme Portaria 204 de 17 de Fevereiro de 2016.

A Gerência Operacional de Vigilância Epidemiológica da SES-PB, por meio do Núcleo de Doenças Transmissíveis Agudas (NDTA), orienta aos municípios a registrarem óbitos suspeitos por arboviroses. “É importante que sejam realizadas investigações no âmbito ambulatorial, domiciliar e hospitalar, utilizando o Protocolo de Investigação de Óbitos por Arbovírus Urbanos no Brasil (Dengue, Chikungunya e Zika), instituído pelo Ministério da Saúde no dia 13 de junho de 2016. As Gerências Regionais de Saúde e o NDTA darão apoio técnico na análise e discussão dos casos”, informou Renata, salientando que as investigações são indispensáveis para o encerramento dos casos, além de identificar o perfil dos óbitos ocorridos no Estado.

Em caso de adoecimento, o usuário deverá procurar imediatamente a Estratégia de Saúde da Família – ESF ou serviço de saúde mais próximo. “Destaca-se que a estratégia mais efetiva para evitar os óbitos é a detecção precoce dos casos suspeitos e condução do manejo clínico adequado do paciente, de acordo com o agravo”, orientou Renata.

Situação Laboratorial de Dengue e Chikungunya – Na Paraíba, no dia 16 de fevereiro de 2017, foram encaminhadas ao Laboratório Central de Saúde Pública da Paraíba (Lacen-PB) 189 amostras de sorologia para dengue (16 reagentes, 169 não reagentes e 4 indeterminadas). Já para testagem de sorologia para chikungunya, foram encaminhadas 62 amostras (7 reagentes, 49 não reagentes e 6 indeterminadas).

Além do envio de amostras para sorologia, é importante identificar o tipo de vírus circulante no Estado. Dessa forma, a vigilância epidemiológica recomenda aos municípios o envio de amostras para o isolamento viral, que devem ser encaminhadas seguindo as recomendações e esclarecimentos do Lacen-PB.

LIRAa – Para 2017 está prevista a realização de quatro LIRAa (Levantamento de Índices Rápido do Aedes aegypti) e LIA (Levantamento de Índices Amostral do Aedes aegypti), para avaliar os níveis de infestação predial do vetor.  Este instrumento tem como objetivo nortear as medidas de ações de controle, além de ser uma atividade de comunicação e mobilização por meio da ampla divulgação dos resultados na mídia. As socializações dos resultados têm importante destaque para a obtenção de apoio na execução das ações de enfrentamento do problema por parte das secretarias municipais e a adesão da população e de setores externos ao âmbito da saúde.

No período de 30 de janeiro a 3 de fevereiro deste ano, foi realizado o 1º LIRAa/LIA/2017. Dos 223 municípios paraibanos, 222 (99,5%) apresentaram os seus resultados. De acordo com esses dados, 88 (39,6%) municípios apresentaram índices que demonstram situação de risco para ocorrência de surto, 95 (42,8%) encontra-se em situação de alerta e 39 (17,6%) municípios em situação satisfatória; destes 12 apresentaram IIP zero.

Considerando os IIP de acordo com Classificação de Risco apontado pelo LIRAa/LIA, foi realizada aplicação de UBV Pesado (Carro Fumacê) em 54 municípios. No 1º Ciclo/2017, que aconteceu de 1º de janeiro a 28 de fevereiro, foram realizadas 1.133.649 visitas domiciliares por 222 municípios paraibanos, como parte das estratégias de controle do Aedes aegypti no Programa de Enfrentamento a Microcefalia-PNEM. Apenas o município de Cacimba de Dentro não realizou as atividades previstas para o período.

Renata Nóbrega ressaltou que programar ações efetivas para a redução dos Índices de Infestação Predial deve se tornar, de fato, uma preocupação constante, diária e intensa para os gestores municipais. “A Secretaria de Estado da Saúde recomenda intensificar orientações sobre como evitar usar pratos nos vasos de plantas, guardar garrafas com o gargalo virado para baixo, manter lixeiras tampadas, ralos fechados e desentupidos, evitar acumular entulhos, entre outros”, pontuou.

Ações – No mês de março, ocorreu a Semana Nacional de Mobilização contra o mosquito Aedes aegypti, em parceria com a Secretaria Estadual de Educação, como estratégia do Programa Saúde na Escola (de 13 a 17) e, ainda, a realização da Semana Nacional de Mobilização contra o mosquito Aedes aegypti em parceria com a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Humano.

Foto: Divulgação
Clickpb