Nome de Cida de Jr para compor chapa de vice é rejeitado e revolta aliados do prefeito de Jacaraú

single-image

“A insatisfação do grupo é considerável. Elias não ouviu o desejo da maioria do povo. Foi uma decisão monocrática”, disse Cida de Jr de Gel em entrevista nesta manhã

Cida de Jr em entrevista na Rádio. Foto: Assessoria

Acompanhada de autoridades e lideranças políticas de Jacaraú, cidade do litoral norte paraibano, a enfermeira Maria Aparecida Batista (PDT), popularmente conhecida por Cida de Jr de Gel, falou da insatisfação de parte da base de sustentação do prefeito Elias Costa (PDT) com a decisão tomada por ele na tarde desta terça-feira, 02, em escolher o nome do jovem Mário Aurélio para composição de vice no projeto dele de reeleição.
Segundo Cida de Jr de Gel, cinco nomes fortes eram cotados, e o de Márcio Aurélio era o menos popular. De acordo com ela, Márcio não tem qualquer projeção e engajamento político na Cidade. Não mora em Jacaraú e é pouco conhecido, principalmente na parte norte do município. Márcio Aurélio é filho do Desembargador José Aurélio da Cruz.
Entre as opções, além do nome dela, estavam a do presidente da Câmara de Jacaraú, Lico de Doro (PDT), do ex-secretário de finanças, Valdecir Coutinho (PDT), e dos vereadores Véio André (PSD), e Gilson Duarte (PSB). Ainda de acordo com Cida de Jr, o nome dela era o senso comum entre essas lideranças. “A insatisfação do grupo é considerável, o prefeito Elias Costa não ouviu ninguém”, disse.
Cida de Jr de Gel disse que a reunião para o anúncio de Márcio Aurélio como vice, aconteceu de maneira surpreendente, numa reunião com o secretariado da gestão. “Foi o meu esposo, Jr de Gel, secretário, que me ligou pedindo para comparecer”, informou ela, que ciente do assunto fez questão de expor a insatisfação dela com o posicionamento do prefeito, considerado como monocrático. “Eu fiz questão de falar do meu sentimento com aquilo. Disse a Elias Costa que aquela decisão dele estava esticando a “corda” e deixaria o coração de muita gente machucado”, enfatizou.
A enfermeira, que se afastou da coordenação municipal da Atenção Básica da Saúde, como favorita para composição da chapa, garante que não entendeu a decisão. Ela elogiou a forma descentralizada que o prefeito faz gestão pública, mas, criticou a representação política dele, “ele precisava ouvir o que quer a maioria da população, ouvir o grupo de apoio dele”.
Cida de Jr de Gel também falou do sentimento de gratidão pelo apoio recebido até ali, e garantiu que permanece na vida pública, mas, não será candidata a vereadora nessa eleição, por compromisso firmado com os vereadores atuais. Embora insatisfeita, ela não enxerga possibilidade de rompimento nesse momento, mas, garante que se afasta do projeto de campanha de reeleição, se mantendo a partir de agora como eleitora. “Me afastarei da campanha, porém, continuarei como uma simples eleitora do prefeito”, finalizou.
Antes, o vereador Gilson Duarte falou e foi mais crítico. “Tinha meu nome na lista das opções, mas, se quer fui convidado pra essa reunião. Na minha opinião foi um jogo de cartas marcadas”, enfatizou.
Foto: Assessoria. No estúdio da rádio. (dir. p/ esq.): radialista Fábio Dutra, vereadora Gracinha Marques, Cida de Jr, vereadores Gilson Duarte, Admilson Abreu, Peron Filho e Zezinho Manum, ex-vereador Peron Bezerra, Jô Propagandas, secretário Jr de Gel, conselheiro tutelar Luan Eduardo.
A entrevista de Cida de Jr de Gel é o assunto mais comentado em grupos de WhatsApp na Cidade, e para os próprios aliados o prejuízo político de Elias Costa pode ser irreversível se entrar na disputa para reeleição, sem o apoio dos nomes mais fortes de sua base.
+ Informação:
Em nota, o presidente do PSD, ex-vereador Júnior André, cujo Partido dispôs o nome do vereador Véio André na lista dos pré-candidatos a vice, divulgou nesta manhã, que o Partido “respeita a decisão do prefeito e reafirma o apoio ao projeto dele de reeleição”, mesmo tendo o nome de Veio André rejeitado.

Da redação ManchetePb