Deputada Flordelis deverá ir a júri popular em ação longa, dizem advogados

single-image

Apontada pela polícia e pelo MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) como a mandante do assassinato do próprio marido, a deputada federal Flordelis Souza (PSD-RJ) deverá ser julgada por um júri popular e não pelo STF (Supremo Tribunal Federal). Longo, o processo poderá levar até uma década e, se condenada, a parlamentar será presa mesmo que não tenha o mandato cassado pela Câmara dos Deputados, segundo especialistas em direito penal e constitucional ouvidos pela reportagem.

No total, 11 pessoas foram denunciadas por envolvimento na morte do pastor Anderson do Carmo, marido de Flordelis, assassinado em junho de 2019.Cinco filhos e uma neta da deputada foram presos hoje. Outros dois filhos e o ex-PM Marcos Siqueira Costa já estavam presos, enquanto Andrea Santos Maia, mulher do de Siqueira, foi a décima primeira denunciada e presa nesta manhã.

UOL